Seguidores

Em homenagem à Jurema

Em homenagem à Jurema
Caminhada de Terreiros em 2009

terça-feira, abril 11, 2017

SEMANA SANTA E A JUREMA

Muito se discute sobre “Proibições Litúrgicas na Jurema” nesse período, venho trazer a vocês uma reflexão sobre uma situação ocorrida em 1990 no Terreiro do meu saudoso Bàbálòrìsá e Juremeiro Grivaldo Pereira e de minha Ìyálòrìsá Eunice Nepomuceno. 

Chego eu como de praxe, adentro pelo portão, saúdo a casa do “Grande Mensageiro e Guardião” que ficava do lado do portão, fui até ao lado do salão do Orixá de onde vejo ao fundo do quintal a parede do quarto dos ancestrais Ilê abó aku (mas popularmente chamado de Balé no Nagô Egbá) e a maravilhosa Gameleira e a Jaqueira que existia por trás do salão do Orixá, (local onde tive a honra de assistir vários atos litúrgicos com a presença de meu pai e alguns amigos, Srº Humberto Toriabê, João Galdino filho de Tia Mãezinha Iyámidê, Srº Zezinho Obálajô e dentre outras figuras do Candomblé (nesses rituais só tinha presença masculina), depois fui até o salão do Orixá e depois voltei ao quintal e fui até aos pés da árvore sagrada da Juremeira que ficava em frente ao terraço da casa de meu pai e de lado da escadaria que ao subir se chegava ao salão da Jurema. Pois no quintal do meu pai eram dois salões e a casa dele.

Pedi bênção a minha Mãe Eunice e a meu Pai Grivaldo que como sempre me dava logo um esporro. 

Ele dizia: É né chegou agora!
Deus te faça feliz.
Cadê dona Bazú?
Cadê Socorro e Valter?
Tem visto Araguacý? 

Eu de pronto respondia, (com voz baixa regada a muito respeito, assim era naquela época, muito diferente do tratamento de hoje em alguns terreiros onde a educação litúrgica é execrável). 

Ficamos ali conversando eu e ele, aquela figura imponente com aquele cachimbo na boca sentado num banco. Essa figura que carrego no coração para eternidade, só comparável ao meu Pai José Iguaracy Felipe da Costa que se tornou meu Pai após a perda física de Pai Grivaldo.

De repente em plena “Sexta-feira da Paixão” entra no quintal uma moça aos gritos... Srº Brivaldo me socorra!!!

Com uma criança nos braços desmaiada, meu Pai de pronto atendeu perguntando o que ocorreu, a moça relatou que a criança estava há dois dias com febre já tinha levado ao posto médico e quando volta para casa à febre retorna de tal forma que a criança desmaiava. Meu pai tomou aquela criança nos braços e ele entrou no quarto da Jurema, eu o auxiliei segurando a criança enquanto Mãe Nice acalmava a genitora desesperada. Alguém diz lá fora, meu Deus hoje é “Sexta-feira Santa” não é dia de mexer com espíritos. 

Depois de uma bela fumaçada no ar e um toque numa taça com um cipó de Jurema, meu velho estremeceu e acostou meu Padrinho Srº José da Pinga e aos berros disse “Louvado Seja Deus!!! Quem pode mas de que Deus?”
Pegou umas folhas de japecanga amaçou com cachaça e esfregou com força nos pés da menina e a criança foi tornando. 

Daí meu padrinho diz: “Leva essa criança ao homem do anel, que Deus e o encanto mestre vão ajudar isso é doença material não espiritual”.

Ele bebeu uma boa dose de Serra Grande, deu a paz e se afastou a criança já restabelecida pediu água e pediu comida, coisa que há quase um dia inteiro não fazia.

Depois de tudo resolvido eu perguntei... Pai como pode hoje “Sexta-feira Santa” o Mestre veio?

Ele no alto de seu saber e ciência me respondeu: “Oxente e o Mestre iria deixar a criança morrer”? Nessa mesma hora tem gente matando outras pessoas, gente nas casas de recursos (comumente era chamado às casas de prostituição e motéis da época), tudo bebendo e muitos fazendo mal aos outros. A cristandade é uma coisa o cristianismo é outra e a Jurema é o caminho seguro. 

 Texto publicado na Pagina do Facebook pelo Bàbálòórìsá e Juremeiro Sandro de Jucá

quinta-feira, março 02, 2017

TRADIÇÕES DE TERREIRO SÃO AMBIENTES DA PRESERVAÇÃO DA HISTÓRIA DO MUNDO



Foto de Orlando Oliveira
CAROS AMIGOS E AMIGAS DO SEGUIMENTO EVANGÉLICO QUE ESTÃO AQUI NA MINHA PÁGINA DO FACEBOOK. 
PEÇO ENCARECIDAMENTE QUE PRESTEM ATENÇÃO NESSAS PALAVRAS QUAIS AS DEDICO. 
HOJE APÓS OUVIR UMAS SANDICES DE UMA SENHORA EVANGÉLICA, GRAÇAS AO BOM DEUS NÃO ESTAVA FALANDO COMIGO, MAS ESTAVA NA FRENTE DE MINHA CASA E PELA IDADE DA TAL SENHORA E EM RESPEITO À IDADE DA MESMA NÃO ENTREI EM DEBATE, MAS VEJAM O TEOR DA CONVERSA... 
UMA EVANGÉLICA SE ENCONTRA COM A OUTRA NA FRENTE DE MINHA CASA E AS DUAS CONVERSAM SOBRE O CARNAVAL E UMA DIZ:

 “A SENHORA VIU IRMÃ NA TELEVISÃO A FESTA QUE O POVO ESTAVA FAZENDO EM HOMENAGEM AOS SANTOS PAGÃOS? FALAM DE TANTA RIQUEZA E O POVO LÁ NA TERRA DOS AFRICANOS TUDO MORRENDO DE FOME" 

“É IRMÃ ELA NÃO QUEREM ACEITAR JESUS, SÓ PODEM TERMINAR ASSIM MESMO”
 
ISSO ME SUBIU UMA REVOLTA TÃO GRANDE, COMO É QUE ESSE POVO SE PROPÕE A ISSO?
EU AINDA PUXEI UMA CONVERSA COM UMA DELAS E TENTEI REMOVÊ-LA DAQUELE SENTIMENTO EGOÍSTA ENVOLTO DE IGNORÂNCIA E FALEI DONA FULANA NÃO DIGA ISSO, A SENHORA SABE O PORQUÊ DE TANTA MISÉRIA?

ELA MEIO ACABRUNHADO ME RESPONDEU...
“MEU PASTOR DISSE QUE É POR QUE ELES ADORAM ESSES SANTOS QUE O SENHOR ADORA”. 

RETRUQUEI, SEU PASTOR DEVERIA LHE CONTAR QUE O CONTINENTE AFRICANO É UMA TERRA VILIPENDIADA POR VÁRIOS PAÍSES, INCLUSIVE ESSE CELULAR QUE A SENHORA USA PARTE DO MINÉRIO DELE É ROUBADO DE LÁ, ISSO ELE NÃO DIZ NÉ?
A SENHORA SABIA QUE A ÁFRICA É A TERRA MÃE DA HUMANIDADE? DE LÁ FOI ORIGINADO A VIDA DE TODOS OS POVOS DO MUNDO.
QUE MUITAS GUERRAS QUE EXISTEM NAQUELE CONTINENTE SÃO PROMOVIDAS E ALIMENTADAS PELA GANÂNCIA DE MEGAS EMPRESÁRIOS QUE MUNICIAM IRMÃOS CONTRA IRMÃOS PARA DE LÁ EXTRAÍREM SUAS RIQUEZAS MINERAIS.
SE AS PESSOAS TIVESSEM O MÍNIMO DE COMPREENSÃO E CONHECIMENTOS RESPEITARIAM A CULTURA AFRICANA COMO UM BEM DE TODOS, DEFENDERIA COM TODA CORAGEM POSSÍVEL AS TRADIÇÕES AFRICANAS. 

NOSSA RELIGIÃO NÃO PRECISA USAR TÁTICAS DE OPRESSÃO E COAÇÃO PSICOLÓGICA PARA NINGUÉM VIR AO NOSSO TERREIRO OU AS FESTAS LITÚRGICAS, ELES SÃO TRAZIDOS POR SUAS NECESSIDADES E ESSÊNCIA ANCESTRAL QUE HABITA DENTRO DE NÓS, INCLUSIVE MUITOS EVANGÉLICOS DE SUA IGREJA JÁ ESTIVERAM AQUI EM BUSCA DE AUXÍLIO E SEMPRE QUE PRECISAM VEM, POIS CADA TERREIRO É UM QUILOMBO QUE AMPARA A TODOS E TODAS.
ELA ME OLHOU MEIO DESCONTENTE E PERGUNTA 

O QUE É QUILOMBO SEU SANDRO?

EU DISSE PERGUNTE A SEU PASTOR E AINDA FALEI, TÁ VENDO COMO MUITOS PRECISAM SE CONHECER, APRENDER SUAS VERDADEIRAS RAÍZES CULTURAIS.
CADÊ O AMAI TEU PRÓXIMO COMO A TI MESMO?
ELA MEIO DESCONCERTADA ME DISSE...

TÁ CERTO BOA TARDE QUE O SENHOR CONTINUE ASSIM AJUDANDO AS PESSOAS ENTENDER AS COISAS.

VI QUE NESSA CONVERSA COM ELA FIZ NO MÍNIMO ELA REFLETIR ENTENDO QUE SE FAZ MUITO NECESSÁRIO QUE O POVO BRASILEIRO PROCURE CONHECER SUAS RAÍZES, ESTUDAR, PESQUISAR E NÃO IR NA CONVERSA ENLATADA DE ALGUNS.
ENTÃO VOCÊ QUE É EVANGÉLICO E ESTÁ NO MEU FACEBOOK NÃO ME ENTENDA DE FORMA EQUIVOCADA, PESQUISE, ESTUDE E VEJA O QUANTO É IMPORTANTE PARA VOCÊ SE RECONHECER COMO SER HUMANO E VALORIZAR SUA IDENTIDADE CULTURAL, VOCÊ É ORIUNDO DA CULTURA INDÍGENA E AFRICANA PRINCIPALMENTE E NÃO DEVE AGREDI-LA SEM SEQUER COMPREENDÊ-LA, POIS “CONHECEIS A VERDADE E ELA VOS LIBERTARÁ” ATÉ ESSA FRASE FOI ROUBADA DOS AFRICANOS E REINTRODUZIDA COMO UMA FRASE CRISTÃ.
INFELIZMENTE AS BELEZAS AFRICANAS SÃO SUBTRAÍDAS ATÉ NESSA HORA. MOSTRAM A MISÉRIA, MAS DEVERIAM EXPLICAR O POR QUE.
NÃO ESTOU AQUI TENTANDO DESRESPEITAR VOSSOS CREDOS, SÓ QUERO QUE VOCÊS REFLITAM E VEJAM QUE AS TRADIÇÕES DE TERREIRO SÃO AMBIENTES DA PRESERVAÇÃO DA HISTÓRIA DO MUNDO E OS POVOS DE TERREIROS SÃO VERDADEIROS HISTORIADORES, POIS CONTAM, CANTAM ESSA RIQUEZA DO MUNDO, NÃO DE MANEIRA IMPOSITIVA, MAS COM REQUINTES DE HUMANIDADE E PRESERVAÇÃO. AXÉ!!! 

OBSERVAÇÃO: SE VOCÊ EVANGÉLICO SE ACHOU DESRESPEITADO FIQUE A VONTADE PARA ME EXCLUIR DE SEU FACEBOOK, VOCÊ SÓ NÃO PODERÁ JAMAIS EXCLUIR DE VOCÊ ESSA PERTENÇA NEGRA E INDÍGENA QUE CORRE NAS SUAS VEIAS E HABITA SUA ALMA.
É PAU GUINÉ

Texto publicado na Pagina do Facebook pelo Bàbálòórìsáe Juremeiro Sandro de Jucá

sexta-feira, novembro 11, 2016

“REFLETIR E PENSAR”


TODOS CONTRA A INTOLERÂNCIA RELIGIOSA


            O grande apêndice da intolerância é a falta de compreensão, é a falta de respeito. O senso de superioridade há todas as formas religiosas. Não podemos conceber que um Deus criador que criou tudo que esta sobre a terra, ele rotularia o segmento como primeiro e único doutrinador ou forma de dominação ou de autoridade perante aos homens.

            O senso de humanidade o “AMOR” é compreensível em várias formas de religião e religiosidade. O que devemos observar com bastante atenção e carinho é que nenhuma religião pode ser tida como a dona da verdade, delineadora de todos os sensos do mundo.
A grande interpretação deve ser o respeito ao sagrado e esse sagrado não esta restrito há uma só forma de religiosidade ou cultura. O senso de religiosidade e cultura tem que ser valorizado, ampliado e respeitado, se observando que em todas as culturas nós temos que observar o sagrado na forma diferente de culto. Esse é o grande caminho para a agregação e o respeito entre as religiões, temos que se propor ao respeito ao sagrado que esta no próximo e em outras culturas e tem que ser observado com a palavra que Deus nos deixou, que é agregadora e conciliadora o “AMOR” e aonde existe amor, existe o sagrado e Deus se faz presente.

             Quando uma cultura abre o dialogo há outra, mais do que legitima esse “AMOR”. Pois sempre as guerras vêm da intolerância, do preconceito e da ignorância, temos que ter mais compreensão, a religião de tradição Indígena e Africana vem dos primórdios do mundo e como tal merece ser respeitada.

Temos que enxergar em nosso irmão, em nossa irmã o sagrado que neles existem. Podemos observar isso pela forma de linguagem, quando um diz Deus, outro diz God, outro diz Dios, outro diz Òlòórun, outro diz Tupã e outras falam em diversos idiomas, designando uma figura divina. Temos que observar a cultura à religiosidade do próximo não de uma forma ditatorial, não com uma forma de supremacia ao outro, temos que observar como uma família, como nossos irmãos.
E quando queremos ser respeitados nós também respeitamos, temos que ter um tratamento equânime de respeito e esse tratamento parte de cada forma de cultura e de cada forma de religiosidade.


quarta-feira, novembro 02, 2016

JUREMA SAGRADA, RELIGIÃO PRIMAZ DO BRASIL


O Culto a Jurema é a mais antiga forma de religiosidade brasileira, sendo ela essência da pajelança indígena. O Culto aos ancestrais é mais antigo que a descoberta do Brasil, sendo assimilada por sua população não indígena pós-descobrimento.
Mesmo sendo um culto restrito tornou-se popular dando ênfase à sua continuidade, negros índios, brancos foram associados a essa prática religiosa de cunho essencialmente brasileiro, tendo com passar do tempo não só discípulos indígenas. Assim a jurema se urbanizou saindo das ocas e sendo compartilhada por outros seguimentos religiosos.
A presença cristã se deu pela forte influência impositiva da época, para sua existência, assim a Jurema superou tornando-se a religião contemporânea mais brasileira que existe. Existem casos onde a presença do povo Negro fez uma fusão da Jurema com o culto à ancestralidade africana, basta observar nos dias atuais alguns caminhos de culto a Jurema sendo comparado ao culto aos ancestres africanos. Quando de oferendas de imolação dentre suas outras práticas referente à Cosmovisão Africana, tais práticas, rituais, diferem muito da real essência da Jurema em sua função originária, nossa linhagem de jurema não usa desse caminho para culto, tais práticas de imolação ficam restrita a tronqueira (local comparado ao Exú de Candomblé), onde são cultuadas entidades que recebem tais atos litúrgicos, como Malunguinho o Guardião da Jurema e outras entidades oriundas de outros seguimentos, como a Pomba gira que dá Umbanda é originária de uma fragmentação do Exú de Angola, Panbu N’zila ficando esse local restrito fora do Estado Mestre da Jurema ou Seara como é popularmente chamado o quarto onde ficam os objetos de sagrados da jurema, copos, taças, flechas, cachimbos, maracas e fios de contas, cruzeiro, imagens, principalmente de índios, mestres e mestras.
A jurema foi assimilada por outros cultos como a Umbanda e outros, a jurema é uma religião que tem dinâmica litúrgica própria, Jurema, Umbanda e o Candomblé são cultos distintos. Vale salientar que a influência do Preconceito histórico ocultou muito a prática da Jurema de forma mais Explícita, inclusive Preconceito de muitos de tradição de terreiro que não compreendem a importância desse culto, como aporte incontestável.
“QUEM ENSINOU OS CAMINHOS DAS MATAS AO POVO NEGRO AQUI NO BRASIL?”
“QUEM ENSINOU QUAL ERVA TINHA PROPRIEDADE PARA TAL USO?” 
Hoje vemos muitos se arvorando ao culto a Jurema, mas vale o aviso, nem todos são escolhidos, assim como existe determinações litúrgica na Cosmovisão Africana, na Jurema também existe.
A jurema é uma religião iniciática, para se propuser a um de seus discípulos existe a necessidade de passar por alguns ritos próprios da jurema, dentre eles a mais importante de todas, a incondicional determinação de cultua-la com AMOR, SERIEDADE E COMPROMETIMENTO.
A essência da Jurema é a grandeza da simplicidade, entidades de cura, orientações, positivas, sempre para o melhor desenvolvimento de seus discípulos e consulentes.
Existem várias formas de culto a Jurema, A JUREMA DE CHÃO, A JUREMA DE MESA E A JUREMA DE GIRA, tais práticas jamais poderão ser desenvolvidas em curso palestras ou seminário. Ficando a esses momentos tão somente uma melhor compreensão do que vem a ser Jurema, isso colocado por pessoas qualificadas. O Culto a Jurema não é espaço fértil para exposições de desejos íntimos quais muitos não tem coragem de assumir publicamente e usam erroneamente o nome dos encantados para se eximir da ação. Ações muitas dessas nefastas danosas para o importante culto da Jurema.
Observo muitas mudanças do culto à Jurema, por conta da REGIONALIDADE, muito compreensível, (Vaqueiro no nordeste, no sul é boiadeiro, entidades sinônimas só diferentes regionalmente), o que não se pode mudar na jurema é sua essência com a grandeza da simplicidade, a sua condução pelo aprimoramento do ser humano em vários aspectos dando a valorização merecida ao seu grupo étnico ancestral.
A JUREMA NÃO É A BRUXARIA EUROPEIA, A JUREMA É O CULTO AOS ENCANTADOS”.
“NÃO BRINQUEM COM A JUREMA, A JUREMA NÃO É BRINQUEDO, A JUREMA É CIÊNCIA NOBRE TEM CAMINHOS E SEGREDOS”.
Dedico esse texto a Dona Maria do Acaes, Mestra Jardecilha, minha Madrinha de Jurema Josefa Quintino da Luz, Pai Grivaldo e Mãe Eunice, todos hoje tronados aos pés da Jurema.
É PAU GUINÉ!!!

Contato: sandrodjuca@outlook.com / (81) 98885-0578

terça-feira, novembro 01, 2016

PRESTE BEM ATENÇÃO!!!




Quando algum Brasileiro for falar de ANCESTRALIDADE, (dos antepassados do Brasil), lembrem que antes dos Negros aqui chegarem (escravizados) os Povos Indígenas aqui já viviam, registrado documentalmente 5 milhões de índios nativos, Tupi-guarani, Tapuias, Tupinambás, dentre outros, com cultura, própria forma de religiosidade. Então quando alguém se propuser a falar de ancestrais não se limite a falar sobre o povo Negro e sua forma de cultura e religiosidade. 

PRESTE BEM ATENÇÃO!!!

 O CULTO A JUREMA SAGRADA JÁ ERA PRATICADO, PAJELANÇA INDÍGENA. E por que muitos querem “DESMERECER” essa tradição?
O Culto aos representantes das forças da Natureza como (Ògún, Òsun, Ìyemanjá, Xangô, Nãnã, Obaluwayê, Oyá, Oxossi, Oxalá...) tem o mesmo valor que o Culto da Jurema e seus encantados. O repúdio por esse culto de jurema por parte de muitos ainda é o resquícios do preconceito histórico que ainda atinge certa parcela da população inclusive pessoas de tradição de terreiro que querem conhecer as tradições oriundas do continente africano, mas sequer conseguem compreender as tradições originárias de sua própria terra.

Muitos dizem não gostar do culto a Jurema, por achar que Culto a Jurema é a esculhambação que se pratica nos dias atuais, aonde o travestismo, esbórnia, shows, desfiles de moda é tido como culto a Jurema. Eu vos digo, isso pode ser culto às vaidades íntimas acobertando por muitas vezes ações qual a própria pessoa não tem coragem de assumir publicamente, mas Jurema não é. Desculpa aí viu, e daí usa os honrados nomes dos encantados.

O Culto a Jurema é a exaltação da simplicidade, é a grandeza da simplicidade, muitos usam a Jurema como a lata de lixo do Candomblé, onde no Candomblé tudo é Sagrado, e na Jurema pode tudo. Já escutei de um dito Babalorixá a seguinte pérola, “Esse negócio de jurema é atraso”. Eu acredito que a cada dia aprendemos, e pessoas como esse sacerdote necessita muito de melhor compreensão, estudos, pesquisas, inclusive no Google que é muito mais cômodo. 

CIÊNCIA SEM SABER, DE NADA VALE!!!

Não confundam Culto a Jurema com o lixo deprimente que vem sendo mostrado, coisas tristes que eu acredito que tais pessoas não tenham espelho em casa ou não se envergonhem, pois muitos já são até de certa idade, onde pessoas mesclam seus Sacerdócio com um desfile de uma Isabelita dos Patins ou similares a peças teatrais. 

JUREMA É CULTO AOS ENCANTADOS, JUREMA É AMOR À ANCESTRALIDADE INDÍGENA, JUREMA É DIGNIDADE.
 SOU FELIZ POR SER UM BÀBÁLÒRÌSÁ E MAIS FELIZ AINDA POR SER UM JUREMEIRO.

SOU CAFUZO, JAMAIS CONFUSO!!!

É PAU GUINÉ!!!

OBS : FUMAÇAS CONTRÁRIAS DE CHILIQUES OU REVOLTA SERÃO MUITO BEM VINDAS, POIS AQUI TEM JUREMA, TERRA DO POVO QUE ASSA CARNE COM FUMAÇA, MANDA AÍ!!!

São páginas que merecem ser lidas.