Seguidores

Em homenagem à Jurema

Em homenagem à Jurema
Caminhada de Terreiros em 2009

segunda-feira, agosto 29, 2011

CASAS VAZIAS COM FOME DE AXÉ

Hoje observamos um esvaziamento nos terreiros, Isso vem ocorrendo não por conta da religião e sim da qualidade dos religiosos,A composição de um terreiro vem de uma boa qualidade de adeptos aqueles realmente compromissado com a religiosidade tendo em sua principal função a valorização da herança ancestral religiosa o que não vem ocorendo nos dias de hoje,Façam uma pequenas pesquisa nas fotos e nos fatos relacionados a nossas pertenças religiosa no orkut ou em qualquer rede social e comprovem o que digo.Além de uma total descaracterização de pertença religiosa alguns terreiros estão se tornando verdadeiros teatros de peças de quinta catergoria,Onde o profano se mistura com o sagrado da forma mais canalha possivel, Palco de cenas bizarras onde o que se propôe é a verdadeira esbórnia,No orkut tem exposição para todos os gostos , De tranca rua com tridente feito com grampo de murro há orixá pousando para foto ,Coisas de nossa ancestralidade estão sendo jogadas no lixo ! Gente que não é compromissada expõe fotos de obrigações de rituais que é privativa de nossa liturgia ao público ainda ignorante,Nossos terreiros estão sendo invadidos por esse embusteiros que a nada mais se propôe de que usar esses espaços para seus psicodramas,Mulheres e homens usando o nome de entidades para suas patifarias e opções sexuais .Quando não chegam ao cúmulo de se entitularem representantes chefes mandatários de uma religiosidade que é de todos,Esse mês de agosto foi o ápice ,Gente se vestindo e se travestindo de toda forma ,Do exú lucifér com rabinho e laços de fitas que deixaria Clóvis bornay com raiva até a pomba gira que beija na boca,Isso é um show de canalismo ! Nada tem haver com religiosidade ! uma pessoa que nasceu mulher tem sua opção sexual particular e que nimguém tem nada haver usar a religião para se intitular "Pai Valter " O que é isso gente ? daqui há pouco terá mulheres no dentro dos lessém egun(igbalé) fazendo ebó aí é brincadeira (ojéia) É por conta disso que os terreiros estão ficando vazio .Postura moral sacerdotal dedicação amor comprometimento respeito por nossa ancestralidade, modernidade não é subrepor aos nossos ancestrais esse vexame,Modernidade é emplementar ações afirmativas para nossas pertenças religiosa ,cursos palestras debates e não abastecermos nossos opositores com coisas que não tem nada haver com nossa religiosidade temos que refletir sobre esses assuntos ou sairemos do trilho de nossa ancestralidade.

5 comentários:

  1. Rio de Janeiro 29 de Agosto de 2011.Inlustríssimo sr Sandro de Jucá quero parabenisar-lhe por mais uma vez nos presentiar com suas proposições reflexões Necessárias para todos dessa querida religião.Não sou do candomblé minha saudosa esposa era yalorixa e manteve por quarenta anos aqui em Belford roxo o terreiro e nesses tempos mesmo não sendo dessa rica religião hoje vejo coisas que nunca tinha visto.Aqui no Rio virou um paraiso para esses desmandos anárquicos na minha época poderiamos falar de grupos mas agora eles são piores que isso , Servem de peso para levar essa tão importante religião para baixo. Pessoas muito queridas da nossa familia como o casal Jorge Amado e Zélia que sempre quando vinham ao Rio nos visitava Mãe Bida que era yalorixá de minha esposa fui varias vezes á Salvador para busca-lá hoje estariam decepcionados com o que ocorre mas continue em frente nesse amor contagiante quero agradecer a minha neta Renata Lopes Andrade que sempre me ajuda no computador e me avisa quando o nobre se despôe a escrita. Quero em sua Homenagem deixar uma frase: O que me preocupa não é o grito dos corruptos, dos violêntos dos desonestos dos sem caráter dos sem ética o que me preocupa é o silêncio dos bons,MARTIN LUTHER KING.Quando vier ao Rio de Janeiro venha aqui no Belford roxo vila são luiz e nos dê a honra de sua visita ,minha neta ligará dando nosso telefone no sábado,Luiz de Andrade Carvalho Pessôa 79 anos.

    ResponderExcluir
  2. Pai Sandro Colofé; compartilho com o senhor do ideário acima descrito; Vivemos hoje um verdadeiro desmando, a hierarquia de algumas casas foi perdida, a verdadeira sabedoria dos nossos Pretos e Pretas velhas, a ciência dos mestres e mestras, a cura de nossos caboclos, sumiram; agora são vestidos fabulosos, perucas, saltos e palavrões. Filhos e filhas que oferecem para o sacrifício um pinto de R$ 15.00 e já abrem casa, dentre outros desmandos que só fortalece o racismo e a intolerância religiosa. É o que prevalece hoje. Vamos a luta...

    ResponderExcluir
  3. Não sou de orixá nem de umbanda mas acho que reamente as coisas estão demais .Tenho uma amiga que vestiu Paulina na casa de um pai de santo e me convidou para festa e no final esse meu amigo que é tambem homossexual como eu chamou o pai de santo que já estava trêbado e começou uma festinha no terreiro bem pra gente. Depois eu pensei aqui na sala desse centro na frente dos quartinho dos espiritos eu não, Peguei minha bolsa e saí não achei legal, Acho que tinha lugares melhores pra se fazer as coisas depois encontrei meu amigo e reclamei e ele disse besteira meu pai até comigo lá de quarto já fez o babado.Eu sou homossexual tenho meu emprego na prefeitura estou na faculdade e não preciso de fazer isso num terreiro. Acho o trabalho seu e dos meninos uma coisa legal acho você um cara muito sério e lindo por sinal ,me desculpe mas eu sou sincero não acho que o centro seja o lugar necessário pra fazer essas fechações e por conta disso não fui mas lá. Mas é isso mesmo temos que separar as religiões de nossos roteiros, Essa coisas são as dóidas deprimidas que fazem acho que sagrado é sagrado mesmo. Muita luz para vocês

    ResponderExcluir
  4. A imagem do candomblé/jurema/umbanda e/ou todoas as religiões indigenas e/ou de matriz africana históriamente vem sendo descaracterizadas ao longo de anos de repressão e omissão de nossas origens, fala-se de intolerância religiosa, em combate ao racismo e a discriminação,em afirmar-se negro candomblecista, juremeiro, umbandista...Mas não se mensura o respeito. Respeito e conhecimento. Agora é moda dizer que é de matriz africana,no entanto poucos são os que tem o compromisso e dignidade para. Nossa religião é perpetuada na oralidade, logo se não se vive ela no cotidiano não se pode afirmar conhecé-la. Um conselho aos que acham que podem teatrilizar nossa religião, o experimentem conhecer a religião que você dizser praticamente,que dificilmente vocês irão usá-la ou comercializá-la...Sejam dignos do verdadeiro asè... Christina Marques

    ResponderExcluir
  5. Concordo com o Sandro de Jucá. Hoje assistimos tradições antiquíssimas sendo vilipendiadas por ações desprovidas de ética e respeito religioso. E mais, muitos jovens so protagonistas dessas coisas todas. Não há mais, digo no geral, excluindo algumas casas de respeito, uma intenção em formar sacerdotes competentes. O que hoje existe são interesses pecuniários, e isso faz com que a nossa cultura religiosa morra, se esfacele como papel n'água.

    Mas acredito na força dos senhores mestres e das senhoras mestras, sobre tudo acredito em Malunguinho e nos trunqueiros de Jurema e na fumaça sagrada. Por pouco tempo perdurará essa bandalheira na Jurema.

    Salve a consciência afro indígena!

    L'Omi.

    ResponderExcluir

São páginas que merecem ser lidas.